Agricultores e agricultoras de Aroeiras discutem sobre constituição de Fundos Rotativos Solidários

Publicado por Thaynara Policarpo
Campina Grande, 19 de julho de 2017 · Editar

Agricultores e agricultoras das comunidades Piabas, Juá e Bernardo, município de Aroeiras – PB, participaram da primeira etapa de formação sobre constituição de Fundos Rotativos Solidários (FRS) que o Centro de Ação Cultural – Centrac está assessorando, com a finalidade de apoiar as comunidades do município para a implementação de diversos fundos. A atividade aconteceu no auditório da Igreja Nossa Senhora do Rosário em Aroeiras.

Dando início à atividade, a coordenadora do Programa Desenvolvimento Sustentável do Centrac, Madalena Medeiros, provocou um debate sobre as práticas solidárias já existentes nas comunidades e quais as experiências de FRS que eles conhecem no município. Entre os exemplos citados, destacam-se o empréstimo de equipamentos e ferramentas; troca de serviços; empréstimo de dinheiro e alimentos e água da cisterna para beber. “As primeiras cisternas de Aroeiras foram construídas através dos Fundos Rotativos Solidários e também eram feitas reformas de cozinha e banheiro nas casas. Também tinha fundos de arames para fazer cerca”, falou a agricultora Marlene Matias.

Ela ainda apresenta alguns exemplos antigos de FRS no Brasil, como as ligas camponesas e os Quilombos. “O Quilombo é o Fundo Rotativo mais antigo que nós temos. Lá, todo negro que chegava tinha direito a comida porque tudo que era plantado era para todos. A ideia do fundo é justamente essa, dar mais liberdade e autonomia às pessoas. Essa prática não é nova e sempre funcionou como uma poupança rural ou urbana”, afirma Madalena.

Em seguida, foi apresentado o vídeo “Fundo Rotativo Solidário”, uma animação informativa realizada pelo Centro Sabiá. Após o vídeo, os agricultores e agricultoras discutiram quais seriam as necessidades das comunidades e como a implementação do fundo poderia contribuir para a autonomia das famílias, especialmente para as mulheres.

Na segunda etapa de formação do curso, serão discutidos os processos para a constituição do Fundo Rotativo e sua relação com a economia solidária e comércio justo solidário. O grupo de mulheres da comunidade Bernardo já deu início à venda de rifas para constituir um fundo na comunidade.

No final do encontro, foram distribuídas mudas de Girassol Mexicano. A planta é rica em proteínas, serve de alimentação para o gado e ainda como cerca viva.