Mobilização de Mulheres para o Beneficiamento do Amendoim

Publicado por Thaynara Policarpo
Campina Grande, 17 de agosto de 2017 · Editar

Na tarde da quarta-feira (16), foi realizada uma degustação de produtos à base de amendoim no Assentamento João Pedro Texeira, no município de Mogeiro – PB,  reunindo agricultores e agricultoras familiares. Os alimentos foram produzidos pelo grupo de mulheres da comunidade e outros foram oferecidos pelo Centro de Ação Cultural – Centrac, instituição que atua como assessoria no território.

O amendoim é um alimento de grande relevância produtiva no assentamento. Anualmente, as famílias colhem em média 1500 quilos, mas o beneficiamento do produto ainda é pouco aproveitado. Por isso, a proposta da degustação teve como objetivos estimular o beneficiamento de alimentos à base de amendoim junto ao grupo de mulheres; compartilhar as receitas do grupo e inspirar novas possibilidades de beneficiar o produto.  A mesa de degustação foi composta por diversos alimentos: pastas variadas; doces, paçocas, farinhas, sorvetes, dentre outros.

A agricultora Maria da Guia explicou como é feita sua receita de sorvete de amendoim. Ela usou o amendoim descascado e torrado, leite, creme de leite e leite condensado. “É muito simples, depois de torrar umas 500 gramas de amendoim, você coloca tudo no liquidificador. Depois vai pra geladeira e já está pronto”, diz Maria da Guida. O agricultor José Carlos Rodrigues, conhecido como Zezinho, apresentou a farinha de amendoim enriquecida com farinha de mandioca. “Minha farinha tem 30 por cento de farinha de amendoim e 70 por cento de farinha de mandioca. É só triturar tudo, peneirar e misturar. Uso sempre na minha casa, no almoço, na farofa, é bom com tudo. Outra receita que a gente faz lá em casa também é amendoim com feijão, fica bom demais”, conta Zezinho.

Segundo Socorro Oliveira do Centrac, já existe uma grande procura nas feiras agroecológicas por produtos beneficiados pelos agricultores familiares, pois não levam conservantes e são mais saborosos.  “A indústria coloca tanto produto químico que o alimento vai perdendo sua qualidade. Hoje nós temos aqui vários alimentos produzidos por vocês e temos também alguns industrializados. Assim a gente pode perceber que todos os produtos oferecidos pela indústria também podem ser feitos por nós, mas o nosso é muito mais saudável”, ressalta Socorro.

Após a degustação, os agricultores e agricultoras discutiram sobre as receitas que mais gostaram e de como é possível começar o beneficiamento do amendoim na comunidade. “Com essa degustação a gente começa a ter uma noção do quanto a gente pode produzir com o amendoim, coisa que a gente nem imaginava cultivando todo esse tempo. E isso anima a gente para produzir mais, fazer outras receitas e comercializar também”, fala Mônica de Lourdes.  “É muito importante a gente conhecer as formas de beneficiar o amendoim porque a parte mais difícil é triturar e torrar, depois disso a gente pode produzir tudo que tem nessa mesa com mais facilidade. Eu espero que essa reunião possa nos animar a continuar plantando e produzindo mais alimentos, envolvendo mais pessoas da comunidade”, diz Zezinho.