Centrac participa de debate sobre as organizações sociais e a crise política brasileira no Chile

Publicado por Aurea Olimpia
Campina Grande, 14 de dezembro de 2017 · Editar

Com a presença de Ana Patrícia Sampaio, socióloga do Centro de Ação Cultural – Centrac e Secretária Executiva do Programa Mercosul Social e Solidário – PMSS continua o Ciclo Formativo “Movimentos Sociais e Desafios da Região Cone Sul” que as ONGs ECO – Educacion y Comunicaciones e Servicio para el desarrollo dos jovens – SEDEJ vem desenvolvendo desde o mês de outubro.

A iniciativa, faz parte do Programa Mercosul Social e Solidário, que reúne experiências dos países Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Chile, com fundo social em parceria com organizações sociais da região.

A terceira sessão da formação gira em torno do tema “Brasil, Movimentos Sociais e Relação com o Estado: Alcances e Tensões”, diálogo que permitirá compartilhar e conhecer a experiência do povo brasileiro frente à crise da democracia que se vive desde alguns anos.

A aproximação com a experiência brasileira, os atores relevantes, os novos movimentos sociais e as estratégias desenvolvidas para a defesa dos direitos sociais busca provocar a reflexão local a respeito do papel das organizações na crise de representatividade que afeta a região incluindo Chile.

Articular reflexões à partir do movimento social na perspectiva regional, frente aos avanços de governos neoconservadores, constitui um desafio da instância formativa as portas de um novo ciclo político que se avizinha.

A roda de diálogo acontece no próximo sábado, 16 de dezembro, das 09h às 14h na Catedral 2395, esquina Bulnes (Casa del Maestro) Metro Cumming, Santiago do Chile.

Com informações de ECO – Educacion y Comunicaciones