Escola de Campina Grande debate sobre comida de verdade durante o mês da alimentação

Publicado por Thaynara Policarpo
Campina Grande, 26 de outubro de 2018 · Editar

Nesta sexta-feira, 26 de outubro, o Colégio e Curso Petrônio reuniu a comunidade escolar para participar da palestra “Alimentação Saudável: Ingredientes para um mundo melhor”. A atividade reuniu cerca de 40 pais e mães para discutir sobre o tema, como parte da programação alusiva ao Dia Mundial da Alimentação, comemorada em 16 de outubro.

Na oportunidade, Madalena Medeiros, assessora técnica do Centro de Ação Cultural (Centrac), membro do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional da Paraíba (Consea-PB) e da Articulação do Semiárido Paraibano (ASA Paraíba), fez uma discussão  sobre o que é comida de verdade.

“Na minha infância, aqui no bairro da Liberdade, vendia coco catolé e macaíba. Hoje, se a gente perguntar a qualquer criança o que é isso, elas não vão saber. Porque algumas tradições alimentares nossas firam sendo substituídas por alimentos industrializados”, afirmou Madalena, que também enfatizou os índices de crianças e adultos com hipertensão, diabetes e obesidade, doenças que estão diretamente relacionadas a má alimentação. “Às vezes a gente oferece uma mono dieta aos nossos filhos, a base de arroz, frango, purê. Mas a alimentação precisa se diversificada, rica em nutrientes e vitaminas e não somente em quantidade adequada, mas em qualidade”, disse.

Na ocasião,  foi discutido sobre as feiras agroecológicas e a importância de consumir alimentos livres de transgênicos e agrotóxicos. “A minha filha tem 6 anos e eu sempre ouço dela o que pode comer e o que não pode, curiosidades que ela aprende aqui na escola. E agora, nas quartas-feiras, já vou começar a frequentar a feira agroecológica”, disse Rúbia Cruz, mãe presente na atividade.

Foram entregues ainda alguns materiais informativos sobre Direito Humano a Alimentação e os pais também puderem degustar de alguns alimentos da linha de Produtos Naturais Girassol, produzidos pela Cooperativa Mulheres em Ação de Campina Grande.

A palestra faz parte das ações do Projeto “Mãozinha na massa”, desenvolvido pela Escola com crianças de 3 a 7 anos, da educação infantil 1 até o 1º ano.  O objetivo do projeto é estimular a alimentação saudável das crianças. “No início do ano letivo, os pais que fazem adesão ao projeto, não precisam mandar lanche para os filhos. Toda alimentação é feita e oferecida pela escola. Também temos uma nutricionista que faz o cardápio junto com as crianças. No início, elas não gostam muito das verduras, dos legumes, mas com o tempo elas vão se acostumando e entendo a importância de consumir esses alimentos que são naturais, sem aditivos químicos”, contou a supervisora da Escola, Ana Catarina Rodrigues.

Paralelo a atividade com pais e mães, as crianças também estavam em sala de aula assistindo vídeos e discutindo sobre o tema alimentação saudável. “A minha filha tem 6 anos e faz parte do projeto. Outro dia, na hora do lanche em casa, ofereci um biscoito e ela recusou, disse que queria tapioca. Agora ela come mais frutas e o biscoito não faz mais parte da alimentação dela”, disse Ana Apolinário.

No período da tarde, a convidada será a professora Shirleyde Alves, do curso de agroecologia da Universidade Estadual da Paraíba e membro do Comitê da Campanha Permanente contra os agrotóxicos, dando continuidade a discussão.