Agricultores inauguram com sucesso primeira feira agroecológica de Puxinanã-PB

Publicado por Thaynara Policarpo
Campina Grande, 6 de novembro de 2018 · Editar

Um grupo de agricultores e agricultoras de Puxinanã, no Agreste Paraibano, inaugurou na última segunda-feira (05), a primeira Feira Agroecológica do Município. O grupo é formado por oito feirantes das comunidades Jenipapo de Cima, Antas, Mariz Preto e Samambaia, todos participantes e beneficiários do projeto “Da Roça à Mesa – Tecnologia Social gerando autonomia e convivência com o Semiárido Paraibano” desenvolvido pelo Centro de Ação Cultural em parceria com o Fórum de Lideranças do Agreste – Folia e com o financiamento da Fundação Banco do Brasil  – FBB   Comitê Católico Contra a Fome e pelo Desenvolvimento – CCFD Plataforma Mercosul Social e Solidário – PMSS.

O projeto deu um apoio inicial à Feira Agroecológica com sua infraestrutura (barracas, fardamento) e momentos de formação, as famílias foram beneficiadas ainda com a implementação de tecnologias sociais de reaproveitamento de água e redução da pressão do desmatamento sobre a caatinga, a exemplo do Fogão Agroecológico, que é alimentado com gravetos, dispensando o uso de lenha. As outras tecnologias são o Sistema Simplificado de Reuso de Água, a Barragem de Base Zero e o Biodigestor, que produz gás metano a partir do esterco dos animais.

A feira agroecológica funcionará semanalmente, às segundas-feiras, das 5h30 às 11h da manhã, em frente à Prefeitura Municipal, próximo à feira convencional, e oferecerá uma diversidade de produtos da agricultura familiar livre de agrotóxicos e transgênicos a exemplo das hortaliças como couve, alface, cebolinha, tomate, cebola, pimentão e coentro, alimentos como batata doce, jerimum, fava, ovos, massa de mandioca, mungunzá, bolo, leite, tapiocas, bolos, sucos, plantas medicinais, ornamentais e artesanato.

A inauguração da feira atraiu um grande público e contou com a apresentação do trio de forró “Jeito Nordestino”. Participaram moradores da zona urbana e rural. A dona de casa Ana Maria Leal, ficou sabendo da feira através de um amigo e fez questão de vir ao local conhecer: “A gente precisa se preocupar com a alimentação, principalmente eu, que tenho taxas altas. Vim hoje só conhecer, a partir de segunda já me organizo para ficar comprando aqui”, disse.

Já a agricultora Maria do Socorro Pereira Nunes, veio a feira comprar um pouco do que faltou em casa: “Hoje comprei couve, alface e uma mudinha, mas tenho uma cisterna da primeira água (16 mil litros) e de tudo eu planto um pouquinho, só para consumo da família”, explicou.

Marleide Ferreira Leite Soares, agricultora do Sítio Antas, é uma das feirantes. Ela levou para a feira couve, alface, cebolinha, coentro e tomate cereja, além de café, tapioca, bolos e suco. A agricultora se diz muito satisfeita com as vendas: “Eu gostei. Foi boa a feira, todo mundo gostou, só faltaram mais mercadoria. Os lanches que levei, vendi tudo, inclusive foi pouco, espero que segunda que vem seja melhor ainda”, avaliou.

Zilda Francisca de Araújo Tavares, outra feirante do grupo diz que a partir de agora é se organizar para garantir a produção semanal na feira: “Já estou encaminhando o meu canteiro de coentro para não faltar na semana que vem. Quem comprou ontem já perguntava se na semana que vem a gente iria estar, as pessoas querem que a gente continue, por isso a gente tem que se organizar para estar sempre alimentando a nossa feira”, disse.