Encontro de articulação reúne coletivos juvenis da Paraíba

Publicado por Thaynara Policarpo
Campina Grande, 4 de setembro de 2017 · Editar

Entre os dias 01 e 03 de setembro, aconteceu o Encontro de coletivos juvenis “Resistência em rede: juventudes e incidência política na Paraíba” na sede da Associação Cultural e Agrícola dos Jovens Ambientalistas de Alagoa Nova – Acajaman, no município de Alagoa Nova – PB. O evento foi promovido pela Associação de Juventudes, Cultura e Cidadania – AJURCC com o apoio do Centro de Ação Cultural – Centrac, através do Programa Juventude e Participação Política.

Estavam reunidos 32 jovens de vários coletivos juvenis urbanos e rurais de todo o estado da Paraíba com objetivo de fazer uma leitura do contexto onde se inserem esses coletivos,  discutir suas pautas e traçar estratégias de articulação em rede para fortalecer a incidência política das juventudes do meio popular nos espaços públicos. O encontro também buscou resgatar a caminhada da Rede de Jovens do Nordeste na Paraíba, visando contribuir com a formação politica e social das Juventude.

No primeiro dia, o evento teve início com uma Roda de diálogo sobre “Democracias ameaçadas e o povo na rua: Um olhar das juventudes organizadas sobre a conjuntura política atual”, que foi coordenado por Ana Patrícia Sampaio, coordenadora do Programa Juventude e Participação Política do Centrac. Animando a discussão, estavam presentes Jô Oliveira, membro da Ajurcc, Mateus Menezes Quevedo e Fernanda Luz Costa da Caravana do Movimento de Pequenos Agricultores – MPA e representantes do Coletivo Maria Fumaça de Cajazeiras. Na discussão, foram socializadas as visões de cada coletivo e participantes sobre o cenário político e as consequências dos retrocessos para as juventudes.

Na manhã do sábado, houve um Painel com as experiências de incidência política dos coletivos e organizações presentes no encontro. Na parte da tarde, houve outro painel sobre a “Memória e experiência da Rede de Jovens do Nordeste (RJNE) no Estado da Paraíba”, Coordenado por Helio Barbosa, diretor técnico da Ajurcc e que contou com os depoimentos de Priscila Estevão e Adailson Reges, ex-integrantes da Rede de Jovens do Nordeste na Paraíba.

Na sequência, discutiu-se sobre as estratégias de fortalecimento e organização das juventudes do campo e da cidade na Paraíba, com a definição de uma agenda de trabalho conjunto.

Para a Ana Patrícia Sampaio, o evento foi de grande importância para as juventudes do meio popular do campo e da cidade, visto que as juventudes precisam estar articuladas para incidir na agenda política local, estadual e nacional, especialmente no âmbito da educação. “A força do querer do jovem é muito maior do que ele mesmo”, disse a jovem Raissa Nunes, do Assentamento Quebra Quilos de Campina Grande e membro do Movimento Sem Terra – MST, fazendo referência ao poder que a juventudes organizadas têm para mudar as suas vidas. A jovem enfatizou ainda que é necessário mobilizar outros jovens a discutir esses e outros temas, convocando os coletivos presentes a reforçar sua intervenção no assentamento onde mora.